26% seguem irredutíveis ou indecisos – Análise Consultor Político Helder

Jornal A Cidade – Monize Zampieri – 18/10/2016 – Leia aqui a publicação original

Se o segundo turno das eleições fosse hoje, 26% dos eleitores não votariam em nenhum dos dois candidatos à Prefeitura de Ribeirão Preto. É o que revela a pesquisa Ibope, contratada pela EPTV, divulgada nesta segunda-feira (17).

Dos 700 eleitores entrevistados, 20% disseram que votariam em branco ou nulo e 6% afirmaram não saber ou não responderam.

O percentual de eleitores irredutíveis ou indecisos apresenta pequeno aumento no comparativo com a pesquisa Ibope divulgada no dia 1º de outubro, quando 19% afirmaram que votariam em branco ou nulo e 5% disseram que não sabiam ou não responderam.

Para o consultor político Helder de Carvalho, Nogueira e Ricardo não conseguiram reverter o desinteresse do eleitor pela política, nos últimos 15 dias.

“Tal tarefa, diga-se de passagem, não é fácil, uma vez que sofremos reflexos da operação Lava Jato e mais ainda, a cada noticiário o eleitor fica perplexo com os desdobramentos da Operação Sevandija”, frisou.

No primeiro turno, mais de 183,3 mil eleitores de Ribeirão Preto se abstiveram ou votaram branco ou nulo.

Carvalho acredita que esse número irá aumentar na votação do dia 30. A mesma opinião tem o consultor político Alex Freitas.

“Se com nove opções no primeiro turno um grande número de eleitores não compareceu às urnas, imagine tendo apenas duas. A campanha no segundo turno é muito curta, o programa eleitoral dificilmente conseguirá empolgar os eleitores descrentes”, avalia.

Arte / A Cidade

 

Ainda assim, Nogueira e Ricardo miram essa fatia do eleitorado, assim como os mais de 81 mil eleitores que votaram nos sete derrotados no primeiro turno.

A pesquisa Ibope ainda mostra que 81% dos eleitores já tomaram sua decisão de voto, mas que 17% ainda podem mudar e 2% não sabem ou não responderam.

O desinteresse do eleitorado pelas eleições deste ano também volta a chamar a atenção. Dos 700 entrevistados, 43% disseram não ter nenhum ou pouco interesse. Outros 25% afirmaram ter interesse médio e, 30%, ter muito interesse.

Cientes do nível de exigência do eleitor, Nogueira e Ricardo apostam na “verdade” e em propostas “com os pés no chão” para conquistar o eleitorado.

“Os números mostram que o eleitor ainda está aberto para ouvir as propostas e é isso que estamos fazendo”, afirma Ricardo.

Nogueira tem alertado a população na TV e no rádio que “é o futuro da nossa cidade que está em jogo”.

Análise>>>Candidatos devem focar nos indecisos 

O número de eleitores irredutíveis ou indecisos é realmente bastante expressivo, neste momento do segundo turno, pois já deu tempo para que os candidatos se tornassem conhecidos. Além de tentar convencer o eleitor que é preciso votar e que esse direito é a base da democracia, os candidatos devem demonstrar o que podem fazer pela cidade, de maneira muito transparente e direta, relembrando episódios onde sua credibilidade pode ser comprovada. Os candidatos não devem focar nos eleitores mais resistentes, nem buscar reverter votos, uma vez que há eleitores indecisos, que ainda necessitam de informações para decidirem o voto. É justamente nessa fatia de indecisos que os candidatos devem concentrar esforços. É possível que os candidatos, em suas pesquisas internas, busquem compreender, nas atuais condições, quais são as características de campanha que o eleitor indeciso valoriza e trazê-las à tona. É preciso buscar a ótica desse eleitor especificamente. O percentual de desinteressados pela política também é bastante alto. A tendência é que o percentual diminua com a proximidade da eleição, porém, na conjuntura em que essa eleição acontece, não creio que vá ocorrer.

Helder de Carvalho, consultor político

O que dizem os candidatos

Duarte Nogueira (PSDB)

“O eleitor já mandou um recado muito claro de que não admite mais incoerência, mentira, nem discurso vazio. Por isso, vou continuar fazendo uma campanha propositiva. E, sobretudo, vou continuar chamando os eleitores para a importância desta decisão. É o futuro da nossa cidade que está em jogo. Ao abster-se, o eleitor deixa que os outros decidam por ele. Sendo assim, vou continuar mostrando o que fiz e o que posso fazer pela nossa cidade. Desta maneira, fica mais fácil do eleitor comparar e tomar a sua decisão.”

Ricardo Silva (PDT)

“Os números mostram que o eleitor ainda está aberto para ouvir as propostas e é isso que estamos fazendo. Mostramos, com os pés no chão e sem prometer obras fantasiosas, que temos soluções para Saúde, Educação, para garantir o abastecimento d’água sem precisar tirar água do Rio Pardo e para todas as outras áreas. O eleitor vai reconhecer que somos o caminho para a verdadeira mudança.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *